História do MCTAD: o resultado e a continuidade

O Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeef sempre teve como motivação socializar, partilhar, conservar, dar acesso aos materiais, espaços e conhecimentos da Universidade e, com isso, pôde se desenvolver e se expandir ainda mais no campo educacional. As mudanças realizadas ao longo da história do MCTAD fizeram com que o museu se constituísse em um espaço de inclusão social que estimula a construção do conhecimento, de valores e atitudes comprometidas com o meio ambiente.

Com todas as atividades realizadas e oferecidas e seguindo a visão do estudo dos solos como gerador para a Educação Ambiental, foi possível cultivar parcerias com grupos da Universidade, Movimentos Sociais e projetos, além de conservar, valorizar e socializar o seu acervo através da exposição e de atividades interativas e educativas.

  

Tudo isso proporcionou novas conquistas e novos sonhos, que se refletiram em outros projetos, como “Vivendo o Solo”, “Proibido Não Tocar”, “Exposições Itinerantes”, “Curso Anual de Professores”, “Curso de Solos e Percepção Ambiental em Alternância”, “Conhecer e Gostar de Solos” e em oficinas, minicursos, “Semanas do Museu”, além da “Conviverde”, a Sala Verde de Viçosa anteriormente sediada no Museu.

São vários anos de histórias, realizações, alegrias, aprendizados e (des)construções na intenção de construir um Museu cada vez mais vivo! Museu cada vez mais! Museu vivo!

© 2020 Universidade Federal de Viçosa - Todos os Direitos Reservados